Virtual Guia

Olá! Seja bem-vindo. Hoje é terça-feira, 13/11/2018 14:20:10.

Ainda não é usuário? Cadastre-se. É Grátis! | Efetuar login

Categorias

Notícias

03/08/2011 Vigilância Sanitária de Itapeva realiza blitz educativa da LEI ANTIFUMO

Por: Bárbara Laranja - Assessoria de Imprensa

Munidos com panfletos explicativos sobre a lei antifumo, painéis e até um aparelho chamado “monoxímetro”, fiscais da vigilância sanitária municipal realizaram blitz educativa sobre a lei antifumo, que ocorreu no Calçadão Dr. Pinheiro, das 09 às 16 horas, como atividade da programação da I Semana de Prevenção às Drogas.

De cunho educativo, a ação proposta foi estimular a conscientização da população para a lei que proíbe o cigarro em lugares fechados, orientando quanto aos locais permitidos e proibidos de acordo com a Lei n° 13.541/09, e assim promover ambientes mais saudáveis livres do tabaco. Fumantes também foram orientados com dicas para parar de fumar.

A dona de casa Mônica, de 29 anos, estava passando pelo local, quando foi abordada pela gerente da Vigilância Sanitária do município, Vivian Ferrari Lima Scaranello. Fumante há 18 anos, ela aceitou fazer o teste com o “monoxímetro”. O aparelho mede a quantidade de monóxido de carbono no pulmão e, assim como o bafômetro, deve ser assoprado. O resultado deu 29 ppm, que significa vinte e nove partes por milhão de monóxido de carbono. De acordo com Vivian, é o índice do fumante invereterado, esta leitura indica que as células oxigenadoras de sangue, que transportam oxigênio estão em quantidades muito menores do que o corpo necessita, podendo comprometer a saúde.

Em seguida, Vivian pediu que Dona Maria, uma senhora aposentada fizesse o teste. “O resultado foi 1 ppm, ou seja dentro da normalidade, uma situação típica de um não fumante”.

Neste dia foram realizados aproximadamente 150 testes com o monoxímetro.

Cerca de dois anos após a sansão da lei, não há menor dúvida de que a Lei Antifumo “pegou”. A Campanha Ambientes Saudáveis e Livres de Tabaco, Coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde com o apoio da Vigilância Sanitária Municipal, está sendo realizada desde 01/07/2009. Neste período, as inspeções têm sido realizadas a fim de verificar os ambientes de acordo com a Lei. Em Itapeva e região, foram realizadas 7.620 inspeções, dos quais 21 estabelecimentos inspecionados e autuados, dentre eles minimercados, bares, lojas de automóveis, quitandas, supermercados, padarias, restaurantes, lanchonetes, etc. Também foram inspecionados estabelecimentos para atendimento de denúncias pelo call center do Portal da Lei Antifumo, sendo que 19 estabelecimentos foram inspecionados sem autuações e dois inspecionados e autuados.

Isto significa um índice de 99,73% de adesão entre os locais visitados, o que indica a eficácia do trabalho de divulgação da lei e de orientação da população e dos proprietários de estabelecimentos quanto aos objetivos da restrição, para o bem da saúde pública. Cidades importantes, como Curitiba (PR), Salvador (BA), e o Estado do Rio de Janeiro, seguiram o exemplo de São Paulo e também vêm combatendo o tabagismo passivo.

Passados estes dois anos, é preciso também dizer que a preocupação tem que ser permanente. A população é peça fundamental para que a Lei Antifumo continue funcionando bem. O apoio dos próprios fumantes em relação à medida é muito importante. E esperamos que todos os cidadãos continuem sendo nossos principais fiscais, denunciando os estabelecimentos que insistem em transgredi-la.

A Lei Antifumo pegou porque está cercada de argumentos em favor da saúde. Um estudo feito pelo Instituto do Coração (Incor), do sistema HC-FMUSP, mostrou que, com a lei, os ambientes fechados passaram a ter até 73% menos de monóxido de carbono do que tinham antes, o que incide diretamente na ocorrência de doenças dos sistemas circulatório e respiratório. Assim as pessoas que não fumam voltaram a ter o direito de não sofrerem com os males do cigarro, o que antes acontecia mesmo que não os tragassem diretamente pelo fumo passivo.

Continuamos contando com o apoio da população para o cumprimento da lei e informamos que para denúncias basta acessar o site http://www.leiantifumo.sp.gov.br/ ou através do telefone 0800 7713541.

A Vigilância Sanitária do município agradece ao Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo pela concessão do equipamento monoxímetro para a realização da atividade.


Fotos

Comentários

Deixe seu comentário:

É preciso fazer login para escrever um comentário. Identifique-se e comente.